top of page
solarpunk - correçao.jpg

Como aprendi a amar o futuro: contos solarpunk

Francesco Verso e Fábio Fernandes (org.)

Compre

Adicione

Goodreads
Skoob

Capa: Sávio Araújo

Páginas: 350
Lançamento: 30/01/2023
ISBN: 9786586692099

Depois de destruir o mundo milhares de vezes e hipotetizar utopias bizarras e tiranias tecnocráticas, a ficção científica surge com um pequeno núcleo de histórias solarpunk: explorando sustentabilidade ambiental, criticando o capitalismo predatório, imaginando possibilidades de uso de recursos renováveis e inclusão radical.

Os protagonistas dessas histórias não desistem da luta para se reapropriar de espaços abandonados pelo capitalismo, mas enfrentam o conflito em nome de uma necessidade humana, de um princípio partilhado por comunidades que querem imaginar um mundo mais integrado às forças naturais – e também mais gentil.

 

  • Ken Liu usa seu conto para examinar um dos maiores debates atuais: e se as tecnologias de realidade virtual e blockchain pudessem ser usadas para reprojetar a ajuda humanitária em tempos de crise?

  • Ana Rüsche narra uma história em uma São Paulo alternativa, quando Nina sai de casa durante um furacão e descobre mais sobre as forças da natureza do que gostaria.

  • Renan Bernardo explora a solidão através da amizade entre uma pessoa e uma androide, sua única companheira, que está prestes a ser desligada por falta de atualização.

  • T. P. Mira-Echeverría e Guillermo Echeverría escrevem sobre uma cidade pós-apocalíptica, Malos Aires, e um protagonista que sonha com a Cidade do Sol.


Contando com treze histórias no total – de autores brasileiros, argentinos, estadunidenses, chineses, australianos, franceses e espanhóis – Como aprendi a amar o futuro nos faz pensar no amanhã e em como fazer as escolhas certas para chegar a um lugar melhor.

bottom of page